TSF

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Quem é a favor da Pena de Morte?


O homem, actualmente com 55 anos, foi condenado com base em dois testemunhos em Julho de 1981, por alegadamente ter violado e estrangulado uma amiga de 21 anos, cujo corpo foi encontrado nas margens do Rio Trinity, no Texas.

Apesar de seis pedidos de recurso e dois de testes de ADN, James Woodard teve de esperar pela chegada de um novo juiz, Craig Watkins, que iniciou um programa de revisão de uma centena de pedidos de testes genéticos.

Graças ao empenho de Alexis Hoff, estudante de Direito que participa no programa, em Dezembro de 2007 foram tornandos públicos os resultados de um teste de ADN que o inocentavam do crime de agressão sexual.

Como, já este ano, um médico legista concluiu que a violação e o crime só podem ter sido cometidos pela mesma pessoa, o acusado ficou livre de qualquer suspeita.

James Woodard detém o triste recorde de ser o norte-americano que mais tempo passou na prisão sendo inocente, afirmam os seus advogados.
Fonte:http://sic.aeiou.pt/online/noticias/mundo/20080430+Condenado+a+morte+e+inocente.htm

9 comentários:

estrela disse...

Talvez numa cadeia perto de si...

Não sou a favor da pena de morte. Torna-se demasiado suave em certos casos e depois há questões como esta que aqui é apresentada.

NAELA disse...

Triste realidade! Ao menos foi feita Justiça (mesmo que ele ja tenha sofrido o que nao devia) o que em muitos casos não acontece!
Beijo

Adriana disse...

Depende muito da situacao, e do pais em questao, a pena de morte so deveria ocorrer em lugares onde a justica realmente funcionasse, e para casos hediondos, sou a favor de uma punicao severa para esses tipo de crime.

Rachel disse...

As leis são feitas por seres humanos, a justiça é administrada e aplicada por seres humanos, e o ditado é velho "Errare humanum est ".
Penas de caracter definitivo, nunca.
Mas quando digo isto, ninguém me entende.
Dizem-me "Ah e se fosse o teu filho, se um pedófilo violasse o teu filho?"
Eu respondo,
Não ficava à espera que o matassem por mim!!! matava-o eu!
Mas atenção: Eu acredito na justiça... quanto mais não seja, a Divina.

Quebra Ossos disse...

"Dizem-me "Ah e se fosse o teu filho... se um pedófilo violasse o teu filho?"
E se o violador for o teu filho?É esta a questão que essas pessoas deveriam colocar.
Se a resposta for: pena de morte mesmo que seja meu filho. Ou é da boca para fora ou é um comportamento anti-natura!

Rachel disse...

Quebra ossos:
Confesso que voltei ao teu blog, para ver se o meu comentário tinha resposta, e porquê:

Repara,eu sou absolutamente contra a pena de morte e até mesmo penas privativas da liberdade com caracater perpétuo.
Por uma e única ordem de razão: "Não há sistemas judiciais perfeitos"

Eu trabalho com o sistema judicial, dentro do mesmo, faço parte do único "orgão" absolutamente independente face à administração da justiça e por isso mesmo, não concordo, não aceito e veementemente refuto, tudo quanto seja pena de caracater definitivo - morte ou encarceramento perpétuo.

Mas quando o digo publicamente, quem não está dentro do sistema judicial, não entende.

A tal pergunta: "Ah e se fosse o teu filho.."
Com a tal resposta: "Não deixava que o matassem por mim..."

Garanto-te, se o meu filho fosse o pedófilo, com toda a franqueza te digo, mais facilmente aceitaria a morte dele pelas mãos do pai ou mãe de alguém a quem ele tivesse feito mal, do que pelas "mãos" de um estado, executor de sentenças proferidas por sistemas, que NUNCA, mas NUNCA, são perfeitos.

Mas enfim...
No entanto, isto é um tema que nos levaria a longas e proficuas conversas.

Quebra Ossos disse...

A justiça e a pena de morte em particular, são questões que me apaixonam...
Concordo com quase tudo o que disseste, e apercebo-me que também falas com "paixão" sobre este tema.
Sou completamente contra a justiça pelas próprias mãos, se um sistema é falível muito mais será um homem só.
Agora digo-te que não sei qual seria a minha reacção num flagrante...talvez a minha primeira reacção fosse matar, agora sei que nalguns casos a emenda é bem pior que o soneto!
Imagina um pai que vê o seu filho ou filha ser violada e que de seguida é preso durante anos por matar o violador...Esta situação pode causar efeitos psicológicos nefastos naquela criança. Trauma de ter sido violada, não ver mais o Pai a partir daquele momento, sentir-se culpada pela prisão do pai etc...
A violência nunca foi e nunca será solução para nada, quando matamos uma pessoa que agrediu a nossa família não passa de uma vingança, de uma reacção impensada ou mal pensada que trará mais violência, mais incompreensão e em alguns casos outra vingança, ah pois porque do outro lado existe sempre outra família, outra história, outra maneira diferente de pensar… o tempo da lei de leão (olho por olho dente por dente) já lá vai e ainda bem, porque senão viveríamos tempos ainda piores do que vivemos agora.
Sei que muitas pessoas também não me compreendem quando digo isto, mas isso é mais uma razão para reflectir, para sabermos que não somos donos da razão, que existem muitas maneiras diferentes de pensar… A tolerância é uma grande virtude, tal como o perdão…
Tal como tu também eu acredito na justiça divina!


PS: Gostava que visses o filme que aconselho no meu blogue na rubrica “ não perder” os filmes “Culpado ou inocente” e “Nos limites do silêncio” Dois grandes filmes que nos ajudam a reflectir sobre a pena de morte e o outro sobre a mente de um assassino, o porquê de o ser e como curá-lo! Sem duvida a não perder.

PS2: Desculpa ter-me perdido e obrigado por comentares no meu blogue!

Rachel disse...

Quanto ao Obrigada, respondo:
De nada!

Sabes que os blogs ajudam-me a dissociar-me desta vida frustrante e dificil que é a vida de uma Advogada, nos dias que correm...

Vai passando pelo me Blog, se quiseres claro, que eu vou lá contando os circos e teatros e autenticos filmes com que nos depramos nos tribunais protugueses, principalmente os de comarcas pequenas.

Fica bem.

Quebra Ossos disse...

Podes crer que vou passando pelo teu blogue...digamos que é um bloguó estágio!